Que bom que você veio!

Obrigado pela visita, deixe uma mensagem de sua passagem por aqui.

5.6.13

Cá entre nós, sabemos nos amar!




Quero celebrar este e muitos outros anos ao lado de meu grande amor, Gisleine.
Completo 26 anos de casado com uma mulher admirável!
Admirada não só por mim, mas pela família e amigos.


Suas qualidades me ajudaram a amadurecer, a compreender a vida com mais sensibilidade, a entender que o cuidado e o carinho é o melhor trilho para uma comunicação eficaz.
Meus melhores anos foram e estão sendo ao lado dela.
Pelo andar da carruagem, os próximos serão os mais brilhantes e aconchegantes.

Sua capacidade de compreender e se solidarizar me constrangem. Sua força e tenacidade me humilham, não em um sentido negativo, mas como um desafio que se coloca diante de mim, tal qual um espelho onde encaro que há espaço para crescer e aprender.

Nos conhecemos há 34 anos, começamos a namorar há 29. Tempo suficiente para saber que, apesar da pouca idade na época, tomei a decisão mais acertada de minha vida.
Não nos completamos simplesmente, nos amalgamamos.
Penso que respondemos "sim, porque não!" a pergunta do poeta: “por que é que não se junta tudo numa coisa só?”. Aprendemos sobre parceria, cumplicidade e responsabilidade para com a vida. 
Há quem chame isso apenas de casamento, eu chamo de amor vivo, duradouro.

Já choramos muito juntos, isolados, um pelo outro, um por causa do outro e penso que ela muito mais por minha causa do que eu por causa dela. Já rimos outro tanto juntos e um do outro. Sofremos, celebramos, cantamos, nos calamos e insistimos.
Sei que ela já rilhou os dentes, engoliu seco e seguiu em frente – fui salvo! E assim, nos salvamos, vivemos, aprendemos e nos amamos. 
Eu te amo mais e mais a cada dia que passa.
O tempo não tem corroído nosso amor; tem amadurecido.

Solfejo a canção, “Só nós dois é que sabemos”.

Só nós dois é que sabemos
Quanto nos queremos bem
Só nós dois é que sabemos
Só nós dois e mais ninguém
Só nós dois avaliamos
Este amor forte e profundo
Quando o amor acontece
Não pede licença ao mundo

Anda, abraça-me... beija-me
Encosta o teu peito ao meu
Esquece que vais na rua
Vem ser minha e eu serei teu
Que falem não nos interessa
O mundo não nos importa
O nosso mundo começa
Cá dentro da nossa porta

Só nós dois é compreendemos
O calor dos nossos beijos
Só nós dois é que sofremos
A tortura dos desejos
Vamos viver o presente
Tal qual a vida nos dá
O que reserva o futuro
Só deus sabe o que será

Anda, abraça-me... beija-me

Eliel Batista Salve 06/06/2013



Um comentário:

  1. Você sempre me surpreendendo!
    Adorei o "só nós dois é que sabemos", quantas coisas cabem nessa frase.

    Obrigada por sua sensibilidade e delicadeza ao falar de nossa história.

    Começamos como amigos, hoje muito mais que amigos, somos amantes, cúmplices, parceiros...

    Agradeço por você estar sempre presente em minha vida.

    Te amo

    ResponderExcluir

Não passe por aqui sem deixar seu registro. Ele sempre é benvindo e importante.