De Pai para Filho

Este mês meu filho completou mais um ano de idade. Não é mais um aninho. São vinte e dois.
Lembro-me da mãe, a Gi, olhando pela janela da maternidade como se tentasse encontrar o horizonte. Parecia querer descobrir como seria o amanhã, daquele bebê de olhos escuros e cabelos quase negros, que docemente dormia.

Hoje, a maneira como ele cresceu foi a de um herói.
Filhos são assim! Se esforçam, desdobram, lutam, vencem e nós os pais nos sentimos os tais, como se o mérito fosse nosso. Por outro lado, se fracassam a gente se sente culpado.

E eles? Tem mérito próprio?

Com o Bruno aprendi o básico da vida. Cada ser é o que é, por si, na relação com o outro. Que a grande “sacada” paternal é abrir espaço para crescimento.

Aprendi que, apesar de Pai, eu não estava ensinando, mas aprendendo. Que minha responsabilidade era de nutrir e não de moldar.
Tentei ser um bom pai e entreguei-me totalmente, não o quanto deveria, mas o quanto pude. Apesar do esforço, não sei afinal se consegui, penso que jamais saberei, pois isto não está sob controle e nem na possibilidade de ser mensurado pela lei da causa e efeito. Uma coisa eu sei, ELE conseguiu. É uma pessoa nobre, dedicada, interessada na dignidade humana e disposto a cooperar com um mundo melhor.

O Bruno é um dos três presentes mais divinos que recebi na vida. Com presentes deste tipo quero viver muito, se possível pra sempre, pois faz a vida valer a pena.

Não sou bom em prosas, mas atrevo-me a dedicar o que brota de mim.

Bruno:

Se eu tivesse a capacidade,
de olhar por detrás da cortina da eternidade,
estou certo de que veria,
Deus se movendo em alegria.

Doando vida, abrindo espaço
para que cad’a-gosto fosse um passo.
Passo a mais, fértil, profundo,
transformador do mundo!
Se não todo, pelo menos o meu,
que depois de você,
sempre amadureceu.

Você leva de mim a vida
e isto não me é pesado,
É gratidão,  É alegria,
Amor, razão também!
Mais ainda, é percepção
de que lá no ontem,
em um agosto qualquer,
nas dores de uma mulher
 Os amores, se encheram de amor!

Comentários

Postar um comentário

Não passe por aqui sem deixar seu registro. Ele sempre é benvindo e importante.

Postagens mais visitadas deste blog

Meu desencanto com a fé cristã!

Uma proposta para Igrejas.